quinta-feira, 1 de julho de 2010

#177 - Ela está DES...

Despreparada para uma velhice saudável, desrespeitosa quanto as convênções impostas pelo mundo, a fim de que haja o mínimo de serenidade e respeito ao próximo, desmotivada após o falecimento de seu segundo marido, mas sem olhar para si e procurar encontrar e corrigir seus erros, desiquilibrada e recomendando psiquiátras para todos em sua volta, desapego, quando ingere mais de 40 cigarros ao dia, sem permitir ao menos que os outros a ajudem. Aliás, por mais vezes que tenha freqüentado a emergência do hospital, nada a conscientiza de que deve cuidar de sua saúde.
Além desta quantidade de "des", a falta de respeito por si só não tem limites e invade uma área restrita e poucas vezes convidada, que é a vida alheia, principalmente a minha.
Infelizmente, minha mãe entrou nesse mundo do "des" e se eu não for forte o suficiente, vou acabar entrando no mundo dela. Não sei até que ponto estou deixando-me influenciar, mas confesso que há muito não estou bem, não só por influência dela, mas de outras personalidades também. Aliás... de quem é a culpa? Cheguei a conclusão (sim, cheguei a esta conclusão agora mesmo), que a culpa é minha. Tenho que fechar-me ao "des" alheios, eliminar os meus e buscar a paz interior e serenidade, que tanto almejo. Estou perto dos 37, deixei meu blog no tempo, pegando poeira e agora pretendo retomar o posto de editor, não só publicando, mas visitando outros blogueiros, comentando seus textos e fazendo amizades.
Mas antes dos novos textos "¿Controversy!", um período para reflexão interior e paz em todos os corações.

"Em qualquer dificuldade, não nos esqueçamos da oração... Elevamos o pensamento a Deus, procurando sintonia com os Espíritos bons."
(Chico Xavier)

2 comentários:

Fantôme disse...

Então, trate de DESencanar, porque os problemas dos outros pertencem aos outros. Se ela não quer se ajudar, não se acabe por causa disso.

E te cuida.

Abração.

Raquel El-Bachá disse...

Eu sei o quanto é difícil não tomar como nossos os problemas dos nossos pais, mas o melhor que você faz por você é se desligar um pouquinho desses problemas que não são seus. Você pode oferecer ajuda, mas nada além disso.
Beijos.