terça-feira, 23 de dezembro de 2008

#124 - Então é Natal.

Então é Natal...
Como hoje é dia 23/12 e ainda estou com muita coisa para fazer e não tive tempo de escrever sobre essa data, algumas frases para reflexão interior devem substituir o que eu sou ou tento ser, hoje.

Dominar-se a si próprio é uma vitória maior do que vencer a milhares em uma batalha.
(Sakyamuni)

Ensinar as pessoas significa lubrificar as rodas para que as mesmas possam girar; ou fazer flutuar um navio para que o mesmo possa ser movimentado facilmente.
(Nitiren Daishonin)

Pouca coisa é necessária para transformar inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios.
(Martin Luther King)

A única maneira de castigar quem se ama é sofrer em seu lugar.
(Gandhi)

Divergência de opinião jamais deve ser motivo para hostilidade.
(Gandhi)

Só podemos vencer o adversário com o amor, nunca com o ódio.
(Gandhi)

A raiz de todos os males é o egoísmo. (Madre Teresa de Calcutá)

É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado. (Madre Teresa de Calcutá)

Não podemos fazer grandes coisas na terra. Tudo o que podemos fazer são pequenas coisas com muito amor. (Madre Teresa de Calcutá)

Hoje auxiliamos, amanhã seremos os necessitados de auxilio.
(Chico Xavier)

Se as críticas dirigidas a você são verdadeiras, não reclame; se não são, não ligue para elas.
(Chico Xavier)

Se Allan Kardec tivesse escrito que ´fora do Espiritismo não há salvação´, eu teria ido por outro caminho. Graças a Deus ele escreveu ´Fora da Caridade´, ou seja, fora do Amor não há salvação.
(Chico Xavier)

O bem que praticares, em algum lugar, é teu advogado em toda parte.
(Chico Xavier)

Excelente Natal para todos os meus amigos virtuais, os que virão e os que foram.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

#123 - A História do Porquinho.

A última moda no país é guardar moedinhas no cofre em porquinhos e além dessa nova mania estar retirando a o fluxo de moedas de R$ 1,00 (principalmente) no mercado. A mania em si e também o porquinho mexeu com a minha curiosidade quanto a origem do porquinho e da poupança. A história do cofre em forma de porquinho é tão antiga quanto a existência da moeda e tem várias versões, provenientes do velho mundo. Uma delas diz que num lugarejo chamado Pigger, na Inglaterra, da Idade Média, havia uma argila cerâmica da qual as pessoas faziam vasilhas de uso doméstico. Com o surgimento e popularização da moeda de metal, surgiu a idéia de criar um pote de barro como recipiente das mesmas. As peças usadas para guardar moedas se chamavam "pygg" e certo ceramista (não familiarizado com o assunto), recebeu uma encomenda de algumas peças e imaginou que o cliente queria compartimentos com a aparência de porco ("pig" em inglês). A outra versão diz que o engenheiro francês Sebastian La Pestre, no século XVII, inventou o porquinho-medalheiro. Por esta versão, Pestre teria calculado que em dez anos uma porca pode produzir seis milhões de porquinhos e concluiu que este animal representaria bem a idéia de economizar.
A Poupança é um termo muito utilizado na Economia e serve para definir o quanto as pessoas e entidades economizam e guardam para investimento futuro. A poupança também, define a riqueza de um país, quando se fala em poupança interna.
A história da poupança no Brasil surgiu em 1861, quando Dom Pedro II criou a Caixa Econômica e Monte de Socorro, por objetivo de captar recursos dos poupadores (inclusive das classes menos favorecidas), aonde o Estado guardava sob sua custódia e com juros remunerados de 6% ao ano. Aos escravos, só foi permitido a guarda do dinheiro em banco oficial a partir de 1872.
Há algum tempo atrás, muitos bancos eram chamados de Casa da Poupança e tinham por objetivo captar a economia dos poupadores (geralmente feito com moedas) e tinham até máquinas (enormes para os dias de hoje) para separar as moedas.
Quero R$ 1,00 (um real) de cada amigo, colega e conhecido.
¿Beijos!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

#122 - Estudar ou pegar pesado: eis a questão.

De forma alguma, pretendo aqui incentivar aos leitores que façam como nosso presidente e menos ainda menosprezar quem pega no pesado para ganhar a vida. Venho percebendo, ao longo dos anos, que o mercado de trabalho não tem pago tão bem aos seus funcionários, quanto a exigência de escolaridade e cursos que os mesmos devem fazer. Aliás, as empresas estão exigindo maior escolaridade (o que não significa mais cultura) e não estão pagando melhor por isso. No entanto, vejo caso de pessoas que trabalham em setores de apoio como: porteiros, pedreiros, assessoristas, motoristas entre outros (sem querer, de forma alguma, desmerecer os trabalhadores dessas classes), que ganham um salário bem acima da média sem que tivessem investido tanto em suas educações.
Esse texto não se trata de uma lamentação ou coisa do gênero mas sim de um "alerta" quanto as distorções que existem em nosso país. É óbvio também que (atualmente e na conjuntura que o mercado brasileiro se encontra), não há vagas para todos que se formam.
Também é óbvio que os melhores devem destacar-se, mas não estou aqui comentando sobre níveis hierárquicos e sim da ausência de um planejamento estratégico para absorver todas as mentes pensantes de nossa nação e elevar ao país para um patamar comparável a países como Japão ou similares, deixando então de lado, o título de "subdesenvolvido" ou "em desenvolvimento".
¿Abraços!

domingo, 9 de novembro de 2008

#121 - Não te convidei ainda!?...

Tenho por hábito, comentar para todos que perguntam e comentam, sobre a questão de levar qualquer pessoa para minha casa, esteja eu no grupo que for. É fato que não conhecemos as pessoas com uma semana de bate-papo ou até mesmo um mês de convivência. O grande problema (ao menos do povo carioca) é que são considerados muito hospitaleiros (não que o pessoal de outras regiões não sejam) e sempre acham que tudo acaba em festa (não é a toa que o personagem da Walt Disney Zé Carioca tinha o estereótipo de bom malandro) e bagunça. Já repreendi várias vezes, muitas pessoas, pelo fato de acharem que por me conhecerem, deveriam ter a liberdade e acesso livre à minha casa.
Antes de convidar alguém para o meu lar, observo muito como essa age, como reage a determinadas situações etc. Tenho inúmeros defeitos, confesso, mas tenho qualidades suficientes e bom senso para me portar em quaisquer ambientes, desde um lugar mais simples a um sofisticado e requitado.
Alguém que quebra algo na empresa, não respeita o espaço alheio e diz dane-se para tudo, não merece nem minha presença, quanto mais minha amizade e menos ainda a freqüencia na minha casa.
Portanto, antes de cogitar pisar no corredor de acesso à minha casa e até mesmo querer entrar na minha vida, prove que merece.
¿Abraços!

domingo, 5 de outubro de 2008

#120 - Isso existe!

A internet mais rápida e mais barata do planeta

Seul - A velocidade incrível, que permite que se baixe um DVD inteiro em cerca de 5 minutos, é apenas um dos fatores que fazem da Coréia o país mais conectado do planeta. "A internet aqui é tão importante quanto a eletricidade", conta o vendedor Choi Jin Siek, de 32 anos. "Muito apartamento novo já tem conexão de fibra óptica. Não dá para viver sem a web porque todo o nosso mundo está lá."
O governo sul-coreano apostou pesado na tecnologia para espantar a crise econômica que tomou conta da Ásia no final dos anos 1990. Investiu US$ 24 bilhões em infra-estrutura de rede e hoje consegue oferecer para qualquer pessoa conexões absurdamente velozes por menos de US$ 20 (R$ 34) por mês. Sem limite de downloads. Cerca de 90% da população está plugada na banda larga.
Hoje, conexões de 50Mb/s e 100 Mb/s são normais nas casas. No Brasil, a conexão mais rápida é de 8 Mb/s, mas poucos têm acesso a ela. Em Seul, em breve a velocidade chegará a 1Gb/s (gigabit por segundo), quase um quinto da impressionante velocidade da conexão oferecida na Campus Party Brasil há cerca de duas semanas.
Essa aposta na internet não poderia ser mais acertada. Toda uma nova cultura digital está se desenvolvendo graças a essa iniciativa, e é essa cultura que coloca a Coréia no topo do mundo digital. Muito antes de Orkut, FaceBook e MySpace, a Coréia já tinha seu site multimídia de rede social. O Cyworld, criado em 1999, reúne 43% da população do país. O site tem ainda mais peso do que o Orkut tem no Brasil.
A sacada do Cyworld em relação aos outros sites de rede social é a forma como outros produtos são oferecidos. Fazer uma página pessoal é grátis, mas adicionar novos recursos, como músicas personalizadas, vídeos de artistas ou gráficos mais bonitos custa dinheiro. São microtransações, de baixo valor. Uma música, por exemplo, custa US$ 0,50. Mas apenas essas músicas já movimentaram dentro do Cyworld mais de US$ 100 milhões.
Esse modelo de negócios da web é a base de muitos serviços online na Coréia, inclusive os games online. Tudo é gratuito para quem quiser a experiência básica, mas uma experiência mais elaborada é cobrada.
Nos games online, é normal comprar itens que aumentam o poder dos personagens ou modificam o visual, como uma roupa ou um adereço.
O Messenger, que no Brasil é o programa de mensagens instantâneas mais usado, quase não tem vez aqui. O NateOn Messenger domina. Integrado ao Cyworld, o pequeno programa também serve como uma espécie de leitor de RSS, que avisa quando os contatos atualizaram suas páginas pessoais.
O Google praticamente não tem importância para o internauta coreano. Quando precisa de uma informação, ele segue direto para o Naver, o maior site de busca da Coréia. O grande diferencial em relação aos outros mecanismos de busca é a forma como a informação é tratada. A grande sacada do Naver foi, em 2002, permitir que os usuários alimentassem a base de dados do buscador de forma colaborativa.
É como se o Google fosse fundido com a Wikipédia. O resultado foi a criação de uma comunidade em torno do buscador. Como o sistema é baseado nas pessoas, e não em algoritmos de busca, o resultado sempre é satisfatório.
O web designer Park Soo, de 21 anos, só usa o Naver em suas buscas. "Quando procuro por restaurantes na área onde moro, em vez de um script automático me mostrar o resultado, eu vejo essa informação e a recomendação pessoal de várias pessoas, que endossam ou não a informação que o sistema me oferece. O Google não tem nada parecido", conta.
Outra mostra da força do meio digital na Coréia é a forma como conteúdo multimídia é vendido.
Enquanto no Ocidente a venda digital de músicas não passa de 10% do total, na Coréia, mais de 57% das canções já são vendidas digitalmente.
Conteúdos criados pelos usuários movimentam a rede. Vídeos, wikisites, textos e músicas podem até render dinheiro. Quanto maior a visibilidade e relevância do conteúdo, mais dinheiro pode render.
O acesso à web também possibilitou que a população tivesse muito mais acesso à informação e papel mais ativo na vida política do país (leia mais na página 9). Ao mesmo tempo, o governo investiu pesado na digitalização dos serviços públicos.
Em vez de obrigar os cidadãos coreanos a perder horas de trabalho em filas e burocracia desnecessária, houve um maciço esforço para a digitalização dos serviços públicos.
Com mais informações online, o governo procura baixar custos e otimizar processos, além de barrar a corrupção.

* Games - Motor da Web - Os jogos online tiveram grande importância na popularização dos PC Baangs (como são conhecidas as lan houses na Coréia do Sul), logo que a banda larga foi disseminada no país.
O hábito de jogar online e navegar em alta velocidade estimulou bastante a adoção da banda larga nas residências, mas foi nos PC Baangs que os coreanos tiveram pela primeira vez a experiência da web hiperveloz.
Visitamos uma na região do mercado de Namdaemum. Enorme e escura, a lan house contava com mais de 50 computadores de última geração. Depois de observar um pouco o comportamento dos jovens jogando, entendemos que o game é apenas um pretexto para se reunir lá.
Na Coréia, a maioria das casas é pequena e o PC de casa é compartilhado por todos. Para reunir os amigos, a melhor opção para os jovens são as lan houses. Por menos de US$ 1 por hora, é possível jogar games de última geração, brincar e estabelecer relacionamentos reais. Os games mais populares são justamente os que formam comunidades, como os RPGs, jogos de tiro e corrida, voltados para ambos os sexos. Sempre tem uma garota real disposta a jogar.
O mercado de games na Coréia movimentou respeitáveis US$ 2 bilhões em 2007, e a expectativa de crescimento anual é da ordem de 19%.

domingo, 21 de setembro de 2008

#119 - Aonde vamos parar?

Há algum tempo atrás, li uma matéria publicada pelo IBGE em que falava sobre a Densidade Demográfica Brasileira e apresentando estatísticas incríveis. O comentário se dava em torno da redução da taxa de natalidade no Brasil, tanto nos grandes centros urbanos quanto no interior. É muito legal uma notícia dessas, por saber que as pessoas estão conscientes quanto ao custo de se ter um filho (ou mais de um) e suas conseqüências quanto a uma criação precária.
No entanto, na contra-mão da estatística, vejo com muita ressalva o aumento da população de baixa renda e também a de baixíssima renda (a população de rua por exemplo). São pessoas com pouca ou nenhuma instrução e menos ainda consciência do que é ter um filho, as conseqüencias da transa sem preservativos, das DST's etc.
Com isso, chego a conclusão (ruim, mas é o que está acontecendo) que está sendo formado um exército de pedintes, paupérrimos e gente de toda espécie, sem consciência de certo ou errado, educação e cultura. Maior preocupação ainda é a do choque que deve ocorrer quando essas duas estatísticas se concretizarem: de um lado, em número menor, as pessoas cultas, com instrução, emprego, uma condição financeira razoável e de outro lado, pedintes, paupérrimos, pessoas à beira da marginalidade e criminalidade (em proporção maior) . Assim sendo, quem tiver dinheiro vai ficar acoado e ter uma despesa extra com segurança e pagar mais impostos para o governo investir no "social" enquanto outros vão se achar eternamente desamparados. Pensemos bem antes de agir...
¿Beijos!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

#118 - Simbolismos.

No Natal do ano passado, fiz algo que há muito não fazia: passei junto com minha família, mesmo que em parte com irmã e pai e outra parte com minha mãe.
Percebi que, ao menos no Rio de Janeiro, a grande maioria das pessoas e famílias não enfeitaram (ao menos no que se diz respeito a iluminação externa) suas casas e varandas, em relação aos anos anteriores e não vi tantas lares animados, quanto há muito tempo atrás.
Trazendo para um exemplo mais concreto sobre simbolismos, neste meu Natal não teve árvore ou algum tipo de adereço em casa, não teve ceia (eis o motivo de ter passado na casa dos outros). Confesso que senti falta de todo esse simbolismo, pois aprendi que o Natal é a reunião da família (infelizmente desgastada dia após dia). Também senti falta da troca de presentes (não pelo fato comercial, mas pelo símbolo de carinho entre os participantes), além das canções natalinas e dos cartões e aerogramas de Natal (coisa que fiz com o maior prazer esse ano e pretendo continuar nos seguintes). Podem chamar-me do que for, mas de uma coisa é certa... O Natal desse ano vai ser comparado ao Natal de 10 anos atrás, com direito a uma Árvore de Natal bem iluminada com presentes , casa arrumada e limpa, ceia tradicional, músicas natalinas contagiantes e pessoas felizes em volta da mesa.
Provavelmente terei algum comentário (ou não) sobre a ausência da figura mais importante de todas: Jesus Cristo. No entanto, esse post foi somente para comentar dos símbolos do Natal, como poderia ser de qualquer outra época, como Dia dos(as)..., dos tantos que existem por aí, mas vale lembrar que a data em si já é um dia especial e não esqueceria jamais do nosso Grande Irmão. Aliás, devemos lembrar Dele todos os dias.
¿Abraços!

domingo, 31 de agosto de 2008

#117 - É com G, J, X, CH, S, Z, SS, C ou Ç?

Mais uma vez bato nessa tecla e fico pasmo quando leio determinados blogs, perfis de Orkut e até mesmo o Yahoo! Respostas. O país, economicamente falando, está muito bem entretanto, a área de educação vai péssima (para ingressar na Universidade Estácio de Sá é necessário que o candidato tire no mínimo 3,0 na redação). O acesso à internet está aumentando mas o seu manuseio continua tosco. Escrevi há um tempo atrás sobre alguns navegadores e percebi que alguns deixaram de ser simples instrumentos para o acesso às páginas http. Não só carregam vários "plugins" como também podem ter suas aparências alteradas (o meu Firefox está com a cara do Navigator) e dispõem de ferramentas como dicionários (em várias línguas) e verificador ortográfico (grátis). Dando uma olhada na minha estante, encontrei a boa e velha gramática. E pude verificar a simplicidade em que é informado e mostrado sobre o emprego do H, do E ou I, do O ou I, do SC, do C, Ç, S ou SS, do S ou Z, do S ou X, G ou J etc., além dos parônimos e homônimos entre tantas outras regras simples, que deveriam ser utilizadas. Para quem não tem acesso à gramática, além do sistema on-line, um bom livro também ajuda e é bastante útil, desde que haja atenção à forma que está escrita, além da estória.
¿Beijos!

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

#116 - O Rio de Janeiro continua lindo...

Descoberto em em 1º de janeiro de 1502, dizem que a origem do seu nome deu-se pelos portugueses acharem que a Baía de Guanabara fosse a foz de um rio. Jamais imaginou que seria palco aonde desfilariam a "Garota de Ipanema", os bumbuns de Copacabana, malandragem do povo da Lapa, além de ser o maior centro de visitação turística do Brasil. Ano após ano, depois de ter passado por inúmeras transformações, a capital da Guanabara, que um dia foi capital federal, a cidade manteve o seu charme, mesmo tendo trocado seus delicados bondes por grotescos ônibus. A cidade continua linda, seja por suas belezas naturais ou as artificiais, as obras esculpidas pela natureza são incrivelmente fantásticas e as arquitetônicas não deixam a desejar. Obras inauguradas desde a época do império mantém-se de pé até hoje (especialmente no Centro e zona Sul) dando um ar de nostalgia e glamour em meio a arranhas-céus e edifícios da arquitetura contemporânea. Não é a toa que o Rio de Janeiro é considerada uma cidade cultural. Quem vem para conhecer mais do que Copacabana e Ipanema, defronta-se ainda com os bondinhos (ativos) elétricos de Santa Tereza, as preciosidades que foram desenhadas para as igrejas católicas, os grandes palacetes que outrora e ainda hoje servem de museus, biblioteca e teatro. E também deparam-se com um Rio de Janeiro oposto ao Rio de Janeiro- a Barra da Tijuca. A música diz: "oh, Minas Gerais/ oh Minas Gerais/ quem te conhece não esquece jamais/ oh Minas Gerais". É uma verdade incontestável, mas o Rio de Janeiro não fica a dever jamais.
¿Beijos!

domingo, 10 de agosto de 2008

#115 - Terapia do Amor.

Post não recomendado para quem não gosta de comentários sobre filmes.

Hoje, 29 de março de 2008 (esse post está sendo publicado em data diferente de quando foi criado), parei para assistir a um filme que havia comprado há um tempo atrás e estava no cantinho, junto com outros dvd's.
Ao contrário de outras comédias românticas, essa chamou-me a atenção pelo fato de não ser como os demais filmes do gênero. Decepcionei-me com o desfecho, mas ao mesmo tempo parei para refletir sobre a mensagem que ele tentou transmitir. Terapia do Amor se passa em torno de um casal, aonde ela tem 37 anos e ele 23 anos e têm em comum a terapeuta com opiniões distintas a respeito do relacionamento de ambos. Um relacionamento entre uma pessoa adulta e outra sem maturidade é complicado. Mais complicado ainda quando as partes se desentendem e não param para analisar o problema. As pessoas conseguem transpor as piores barreiras, que são (no meu ponto de vista) a família mas não superam seus próprios problemas. O mais incrível é... você amar uma pessoa e apesar da consciência disso, conseguir conviver esbarrando por ela e compreender que o que passou passou. Depois de choros e risadas e com um final decepcionante, pensei na minha vida e no que passou-se comigo e com o Guido há algum tempo atrás. Estava no MSN (antes do PSV) e ele veio falar comigo (o mesmo estava até excluído do MSN) e no meio da conversa veio a proposta: "quer transar comigo"? Na hora aceitei, porque eu queria muito namorar esse menino. No dia combinado, ele veio aqui em casa, conversamos, ficamos a vontade e transamos. O momento foi muito gostoso, até debaixo do chuveiro. Almoçamos e saímos... O momento foi bom e único e desde então, cada um vive sua vida. Por melhor que tenha sido, ainda acredito no romantismo dos casais, na cumplicidade e no amor.
¿Beijos!

segunda-feira, 28 de julho de 2008

#114 - Aonde vamos plugar?

Quem conhece o canal de vendas Shoptime, percebeu que em termos de produtos e preços (o canal pertence a Americanas.com desde 08/2005), não há melhor e mais divertida programação de se assistir. Um dos programas de destaque, dentro do canal, é o TV Gourmet/ UD, aonde as apresentadoras mostram as novidades da cozinha moderna. Desde o mini-processador até a churrasqueira, todos ou quase sua totalidade de produtos são alimentados a energia elétrica. Levando-se em consideração que a quantidade de vendas de tais produtos aumenta mês a mês e que há sempre um novo consumidor com uma necessidade a ser atendida ou um velho consumidor querendo mais novidades (eu que o diga, pois tenho o Grill Quadrado e a Master Sucos, por enquanto), que nossa fonte de energia é limitada e com previsão de um futuro escasso, como ficaremos daqui a alguns anos?
Essa comodidade toda ainda trás outros fatores não lembrados na hora da aquisição: o aumento da conta de energia elétrica; o espaço na cozinha para acomodar tantas "facilidades"; a garantia de que poderemos usar SEMPRE tais produtos, sem o risco de um novo apagão ou racionamento como houve em 2001. Investir em novas tecnologias para redução no consumo de energia é viável, mas quando há um paralelo no aumento da quantidade de produtos ofertados e adquiridos em que há necessidade do uso da energia elétrica, a coisa começa a ficar complicada. Deveria haver um incentivo para que todos viessem a usar, ao menos em parte, a energia solar, pois assim poderíamos usar uma fonte barata e ecologicamente correta. Outras fontes de energia devem ser usadas também, até mesmo a energia nuclear.
A questão é torcer para que o governo federal invista em infra-estrutura e pesquisa, afim de atender a forte demanda que vem por aí.
¿Beijos!

segunda-feira, 14 de julho de 2008

#113 - Na marca dos XXXV.

Hoje, completo meu 35º aniversário e com perspectivas muito boas daqui para frente. Tenho feito de tudo para tornar-me uma pessoa melhor, para mim, para a sociedade, para aqueles que me rodeiam e para a natureza.
A cada dia que passo, venho aprendendo um pouco mais (sim, o aprendizado é constante e sempre) e com o tempo e maturidade aprendi que nem tudo é do jeito que queremos (tudo tem o seu devido tempo). A cada ato meu, praticado no passado, está se refletindo no presente e mostrando como será o meu futuro. Plantei meu jardim e hoje estou colhendo ótimos frutos. Ainda preciso trabalhar um pouco quanto a minha tolerância, compreensão e partes de minha personalidade que dizem respeito a relacionamento interpessoal. Há três anos, venho inovando a forma de comemorar meu aniversário mas esse ano será diferente, pois tenho uma meta a cumprir até o fim do ano e preciso do MEPP - Máximo Esforço Pessoal Possível. No entanto, tomei por medida de precaução a exclusão de alguns contatos meus do Orkut e blog (no MSN, já não tenho mais esse problema, por conta do PSV - Programa de Simplificação Virtual), pois se não servem para mim na vida real, para que acompanhar-me na vida virtual? Depois de refletir um pouco, ainda mantive alguns contatos, mas nada que venha a dizer que morro de amores por essas pessoas.
Aos poucos, estou estabilizando minha vida financeira e conseqüentemente tudo o mais em minha volta. E neste novo ciclo, que está sendo muito melhor e próspero, espero poder ter o mínimo de pessoas me acompanhando, pois a realidade, mesmo que dura é que em relação a amigos, não temos mais do que meia-dúzia.
Quem me conhece e acompanha, sabe que venho de uma longa jornada, em que as dívidas pareciam acompanhar-me infinitamente. Essa fase está acabando, pois graças a um pouco de esforço estou com prazo definido para ficar livre de qualquer dívida.
Sai da Contax e entrei na Contact Seres, para o atendimento da Estácio. Em vista disso, mudei meu foco para aproveitar a oportunidade que surgiu (o de fazer mais uma graduação com bolsa de estudo). Passados 6 meses e depois de várias alterações, consegui atingir meu objetivo (mostrar quem sou e a que estou) e apresentei um estudo à coordenadora da central, promovendo assim a minha imagem. A bolsa foi indicada para mim, mas por eu ser graduado, pediram que eu deixasse para o próximo semestre. Não fiquei chateado, tendo em vista que pretendo quitar minhas dívidas esse ano.
Conheci um rapaz de Curitiba (através do blog) e depois de longas conversas, percebemos que sentimos algo muito forte, um pelo outro e já se passaram quase 8 meses nesse "romance virtual". É lógico que eu quero trazer para a realidade e apesar dos obstáculos, o convidei para passar as férias no Rio de Janeiro, comigo. Tudo planejado, até que por motivo de ciúmes, a visita dele foi adiada, depois de um longo bate-papo ao telefone. Saudades de sua voz, do seu carinho, dos SMS e até mesmo de saber que ele me ama tanto quanto o amo. Consegui juntar quase R$ 1.000,00 e parte desse dinheiro seria para custear sua vinda ao Rio de Janeiro.
Juntar dinheiro, pagar dívidas e ser feliz! Minha avó já dizia que "enriquecemos com o pouco que guardamos e não com o muito que recebemos". Com moedas de R$ 0,50 e R$ 1,00, além de depósitos regulares de R$ 20,00 na CEF a cada receita recebida, cheguei em 07/07/2008 com R$ 971,00, sendo que R$ 751,00 guardados no Rabicó (meu porquinho de barro). Apesar de ter usado a grana do Rabicó para pagar dívidas e fazer o meu aniversário, continuarei com ele durante o restante do ano e de-repente, fazê-lo lotar de vez.
O relacionamento com meus amigos tem sido regular e confesso que copo cheio e passeios sem rumo não tem me agradado muito. Quero amizades que me acrescentem algo e me façam sentir vivo. Caso contrário, minha dvdotéca, cdtéca e biblioteca estão ficando ótimas. Com a minha família, o relacionamento mantém-se tolerável na medida do possível. A arrogância da minha irmã está fazendo com que em me afaste cada vez dela. Não fosse pela minha sobrinha, a qual temos um grande amor um pelo outro, estaria muito mais distante. Com o meu pai, continua na mesma... moramos sob o mesmo teto, mas vivemos sós. Apesar das inúmeras discuções que tive com minha mãe e pelo fato dela não aceitar minha homossexualidade, as coisas estão mais brandas recentemente. Sem brigas e até com a visita dela à minha casa ontem, (casa tão dela quanto) e um curto, porém produtivo e gostoso, papo com café e suco de laranja.
No que diz respeito ao meu blog, ele vai bem, obrigado e com tempo de vida mais do que prolongado. O tempo que deixei ele de lado, percebi o quão é precioso cada visita e cada contato que tenho com outras pessoas, independente da linha de pensamento.
Agradeço a Deus todos os dias pelas excelentes pessoas que estão a minha volta e de uma forma ou de outra, tenho aprendido com cada uma delas, inclusive vocês, que prestigiam meu humilde cantinho. São 35 anos completados com saúde, sabedoria e a consciência de que tenho muito ainda a aprender.

Abaixo, a respostas referente as perguntas dirijidas a mim, por e-mail.
>Qual foi seu momento mais embaraçoso? (por Andre Mans)
>>> Hahahahahahahaha. Já passei por vários momentos embaraçosos, mas o maior e mais divertido de todos foi quando minha irmã e cunhado chegaram em casa (eles têm a chave da porta) e eu tive que esconder um homem debaixo da minha cama (para desconfiança do meu cunhado). Devo ter ficado com as faces coradíssimas e de tudo quanto é cor.

>Você acha que a moda influencia as pessoas? Você acha que é influenciado por cada "temporada", você adere a moda da vez? (por André Hottër)
>>>Acredito sim, que a moda influencie as pessoas e acredito mais ainda que quem é influenciado pela moda não segue muito sua própria vontade. Não! Não sou influenciado por modismo algum. Compro aquilo que tenho vontade e que acho necessário, no meu momento e não porque as pessoas o fazem.

¿Beijos! & ¿Abraços!

segunda-feira, 7 de julho de 2008

#112 - Quem deveriam ser nossos políticos?

Vejo com tristeza a nossa classe política e com certa alegria ao ver que há um "racha" entre as posições a favor de oposição ao governo e vejo que a classe não está tão satisfeita com os males que começam aparecer.
Conversando um dia desses com um amigo, comentei sobre ética e moral e a influência dela em nossas vidas.
Aí eu pergunto: por que existe a lei?
As respostas, tanto a minha quanto a dele foram unânimes: porque as pessoas não tem senso ético, não respeitam o próximo, não são solidários, são egocêntricos e gananciosos, não respeitam a natureza, não tem senso de cooperativismo mútuo etc.
Enfim, temos que ser "moldados" por leis devido a ausência de bom senso.
Vejo tanta gente de bom senso (teoricamente e para um público em geral) como cineástas, empresários, economistas entre tantos outros e me pergunto por que essa democracia tão bagunçada?
Não estou aqui recriminando ou discriminando alguém, mas ser político sem ter sequer o nível médio concluído é dose. Não estou querendo dizer que quem não o tem não serve, mas há tanta bobagem divulgada na mídia e tanta gente que se deixa influenciar por terceiros que a coisa deveria ser revista.
Outro detalhe: somos o maior país da América Latina e temos exemplos maravilhosos de administração pública educacional, na área saúde e transporte, além da reciclagem de lixo e outros materiais de uso descartáveis que servem para reaproveitamento em outras áreas, preservação da ecologia com sustentabilidade econômica e no uso de serviços básicos, moradia etc. Por que não copiar essas idéias (elas existem e foram divulgadas em "n" reportagens pela televisão aberta) em todo o país?
Falta de boa vontade política, de conhecimento, cultura e senso de governabilidade e responsabilidade pública.
Fiquei muito satisfeito com a decisão do STF - Supremo Tribunal Federal em ter acatado o pedido de denúncia feito pelo Ministério Público contra os 40 "mensaleiros" e apesar de Renan Calheiros não ter perdido o mandado de senador e presidente do Congresso (ele foi presidente das duas casas), grande parte dos senadores mostrou sua indignação publicamente, assim como a imprensa, opinião pública e o próprio Poder Judiciário que recebeu algumas denúncias contra ele por suas faltas. Aplausos também para os TRE's de todos a Federação, que não aceitarão inscrições de candidatos com ficha criminal.
Espero estarmos entrando em uma nova Era Política antes mesmo da reforma política e que nossos políticos sejam mais éticos, decentes e acima de tudo deixem de olhar para si, para voltarem os olhos ao povo que os elegeu.
É papel nosso, também, assumir uma posição menos passiva e passar a cobrar de nossos eleitos o que eles fazem por nós ou não.
Em quem você votou da última vez?
¿Até!

domingo, 29 de junho de 2008

#111 - O custo da "folga"...

Quando trabalhava na Contax, fiquei alguns dias em casa, por ter pego Rubéola e no 6º dia comecei a fazer uma análise da minha "economia" de não ter ido trabalhar, por estar licenciado. Assim, pude analisar o que muitos pensam sobre férias (que são para descanso e não têm custo algum) e em especial quando não se está trabalhando. A primeira coisa que vem à mente é a "lógica" de que ficar em casa é econômico, pois não saimos, não consumimos, não gastamos etc. Errado! Se pararmos para analizar cada minuto que ficamos em casa, salvo os que tem afazeres domésticos, perceberá que nos sentimos sós e afim de suprir tal necessidade começamos a procurar por companhia e tal busca nos leva a usar alguns serviços, tais como: telefone, internet, começamos a comer demais, assistir televisão, ver filmes no dvd etc. e se for colocar na "ponta do lápis", tudo refletirá em uma despesa maior no fim do mês. Comento isso baseado numa situação da qual passei, em que fiquei desempregado e apesar de estar em casa fiz um tremendo esforço para manter as despesas no mesmo nível, caso estivesse trabalhando.
É complicado, ainda mais quando se trata de alguém que tem um padrão de vida e gasto altos. É complicado ter uma renda menor que a anterior e mais ainda é ficar um tempo sem renda. O mais incrível é que vivemos em um país aonde se fala muito no social e no entanto, quem está desempregado é obrigado a passar por uma via crucis na hora de requerer o seguro desemprego, principalmente se tiver algum erro no formulário. Ao invés de juntar documentos e fazer a correção no mesmo momento, não! A burocracia manda... e prejudica que não está trabalhando.
Nosso país é injusto e o mais incrível é que quanto mais você tem, mais ganha. E quanto menos você tem, mais deve.
As empresas não respeitam quem está desempregado, lhe cobram multas e juros absurdos ao atrasar alguma prestação, sem sequer "esperar" que a pessoa se empregue novamente. Enfim... Estamos num mundo em que é preciso repensar muita coisa e principalmente ter senso de justiça, ética, humanidade e respeito com as pessoas.
Quanto te custa ficar em casa?
¿Abraços!

segunda-feira, 16 de junho de 2008

#110 - Quer Pagar Quanto?

Adoro propaganda e marketing, pois ela incentiva e induz as pessoas a comprar algo que só passam a sentir necessidade quando vêem as demonstrações do quão é necessário aquilo que até pouco tempo atrás não tinha menor importância. Por outro lado, tudo que é oferecido é mais do que válido, pois estamos em um processo evolutivo, principalmente na área tecnológica.
E nisso, até mesmo o Brasil há tempo deixou de ser o país tupiniquim das peças baratas e sem qualidade.
Alguns produtos de preço inferior estão melhores do que antigamente e estamos a frente de vários países em muitas área, por incrível que pareça.
Mas é inegável dizer que a nossa propaganda é uma das melhores do mundo. Temos diversas agências publicitárias, muitas estrangeiras, algumas poucas nacionais mas todas com uma coisa em comum: o espírito do brasileiro.
O desempenho das propagandas são medidas pelo "share of mind" ou "top of mind" e venhamos e convenhamos: quem não se lembra?
- Da famosa propaganda de lançamento do Big Mac (com o fundo musical: "dois hambúrgueres, alface, queijo molho especial, cebola e picles num pão com gergelim");
- Do Natal mágico da Coca-Cola aonde víamos passar os ônibus e caminhões com as lâmpadas pequeninas em volta dos veículos, piscando à noite;
- Das propagandas ousadas da Beneton em que eles pregam a mistura das cores, a preocupação com o meio ambiente e a harmonização entre as raças;
- Da palha de aço Bombril, que apesar de simples, tem 1001 utilidades;
- Das propagandas do Itaú - Banco feito para você, com vários outdoors gigantescos nos formatos físicos e linguisticos de acordo com o perfil do cliente;
- Dos bichinhos da Parmalat que regressaram às televisões e outras mídias, 11 anos depois de sua primeira aparição.
Se eu for mencionar a metade das propagandas que classifico como ótimas, levarei muito tempo escrevendo e com certeza não citarei nem uma quarta parte do grande acervo existente.
Elejo Nizan Guanaes como o melhor publicitário brasileiro de todos os tempos e Oliviero Toscani como o mais ousado e brilhante de todo o planeta.
Qual a sua propaganda favorita?
¿Até!

domingo, 8 de junho de 2008

#109 - Vícios.

##### Dom, 15 Jul, 2007 - O casal Michael Straw, de 25 anos, e Iana Straw, de 23, declararam-se culpados por descuidar de dois seus filhos. Em vez de alimentá-los, eles decidiram passar o tempo jogando videogames na internet. As crianças, um menino de 1 ano e 10 meses e uma menina de 11 meses, estavam subnutridos e à beira da morte no mês passado, quando foram levados a um hospital por assistentes sociais. As duas crianças passam bem e têm ganhado peso, informou a promotora Kelli Ann Viloria. Segundo ela, o casal ficava tão envolvido com jogos online - principalmente os da série "Dungeons & Dragons" - que não cuidavam das crianças. A polícia informou que os funcionários do hospital tiveram de raspar a cabeça da menina porque ela estava coberta por urina de gato. Pesando 4,5 quilos, a menina também tinha uma infecção na boca, pele seca e desidratação severa. Seu irmão teve de ser tratado de uma infecção genital e a falta de desenvolvimento muscular resultou em dificuldades para andar. Michael Straw trabalhava como caixa, mas está desempregado. Sua mulher tem um emprego temporário num depósito, segundo os registros da corte. Ele recebeu uma herança de US$ 50 mil, que gastou em equipamentos de informática e uma grande televisão de plasma, afirmaram as autoridades. Crianças maltratadas por pais viciados em drogas é comum, mas casos nos quais os pais são viciados em videogame são raros, lembrou Viloria. #####
Eu fico triste em saber que há um número tão grande de incidências envolvendo "anormalidade" das pessoas nos EUA.
Todo temos vícios e manias e por tal consciência, devemos constantemente fazer uma auto-análise, ouvir o que nos dizem e deixar de lado a prepotência e arrogância que nos acompanha de pensar que só nós sabemos da nossa vida e pronto, e principalmente não deixar que nossos problemas afetem outras pessoas ainda mais quando forem nossos dependente. Lógico que, em um caso em que as pessoas nos alertem que estamos errando e não para nos moldar como elas querem que sejamos.
Fazer uma auto-análise é muito difícil. Achar nossos erros é complicado. Corrigí-los é uma tarefa árdua e requer atenção total.
Agora sim, valorizo cada vez mais o trabalho do psicólogo.
Vamos fazer uma auto-análise?
¿Beijos!

sexta-feira, 30 de maio de 2008

#108 - Você ainda está aqui?

Sete de Junho de 1998 - um dia de grande alegria para mim, tendo em vista ter sido dia da minha primeira grande e importante aquisição - o meu primeiro computador: o Compaq Presario 2240. Tive em minhas mãos uma teconologia moderna em termos de software e hardware, incluíndo aí o processador AMD K6 de 200 MHz, memória básica de 32 MB, que foi expandida mais a frente para 64MB, disco Rígido de 2,1 GB, modem de 56K para acesso à internet (discada na época), drive de CD ROM e também de disquete de 3 ¹/²" e mais a frente, passei a ter o Zip Drive (externo) como um poderoso aliado para back up com discos capazes de armazenar até 100MB e o famoso monitor de 14", também da Compaq .
O tempo foi passando e em primeiro de janeiro de 2000 (depois de ter vendido o anterior) recebi meu segundo pc - o Compaq Presario 5423, também com tecnologia de software e hardware indiscutíveis como processador AMD K6 II de 450 MHz, memória RAM de 32 MB, que foi expandida para 128MB, um HD de 4,3 GB, acompanhado do bom monitor Compaq de 14" com uma placa de vídeo de 4 MB, drive de CD ROM de 32x, além da placa de rede para acesso à internet (agora por banda larga) e 2 discretas entradas para USB e um drive de CD-RW que adquiri mais a frente.
Chegou o dia cinco de junho de 2006 e foi a hora de trocar o bom e velho amigo por um CCE PCLW2BL, com drive de CD-RW (e drive de DVD-RW adicionado recentemente), o de disquete de 3 ¹/²", 256MB (expandido inicialmente, antes mesmo da garantia vencer, para 512MB e atualmente para 1,25GB) e mais 6 entradas para USB.
Paralelo a isso tudo, a Apple com o seu indiscutível Macintoch (batizado depois de Mac, eMac, iMac e outras variações) desde meados da década de 90 começa a "eliminar" o famoso drive de "floppy disk" e finalmente em 1998 decreta sua morte de vez.
Até a aquisição do meu último pc, não via com bons olhos a morte do disquete de 1,44 MB apesar de várias mídias superiores em termos de capacidade e resistência (ex.: zip - 100/250MB, cd - 700MB, dvd - 4GB etc.), pois ainda não estavam a altura quando se tratava de transportar o pequenino de um lado para o outro (um disquete cabe no bolso de uma camisa). Mas eis que surge o pendrive. Comecei tendo um de 128MB (não durou muito tempo e queimou), adquiri o seguinte de 1GB e estou com mais outro de 2GB. Além de ser, na minha concepção, a melhor mídia de armazenamento de todos os tempos, a sua aceitação está sendo tão grande que aparelhos como: dvd, rádio, tv, impressora entre outros, já estão rendendo-se à pequena jóia da informática. Sem sombra de dúvida é a melhor mídia de todas que estão por aí. De capacidade de 128MB até 16GB e preços a partir de R$ 20,00 (dados colhidos até a data do fechamento desse texto - 9/9/2007), ele é pequeno, leve, com alta capacidade e adaptável em qualquer máquina sem a necessidade de software específico.
Então eu pergunto: qual a real necessidade do disquete hoje em dia?
Abraços!

quarta-feira, 21 de maio de 2008

#107 - Parada Gay - A manifestação mais demagoga que existe.

Todos os anos, várias edições da grande passeata GLBT ou GLS ou seja lá a sigla que quiserem dar, acontecem em todos os cantos do Brasil e no Rio de Janeiro são até dividido por bairros (para o meu horror).
Além da grande animação e festa que a manifestação representa, o resto eu acho demagogo.
Os grupos gays pedem respeito para si e dão uma demonstração falsa de harmonia dentro da classe homossexual.
Oras! Homossexualismo está inserido num grupo tal qual o homem e a mulher o estão. Assim sendo, somos tão imperfeitos quanto qualquer pessoa, pois somos seres humanos e com isso temos desavenças mil. Há grupos de gays (os barbies - caras sarados) que detestam os que não sejam como eles, têm os que gostam só de sair, transar e tchau, tem os aproveitadores, tem as bichas velhas e loucas como eu mostrei em um post anterior etc.
No meu modo de ver, a parada deveria servir para mostrar a sociedade que gay não é nenhuma anomalia e que a sexualidade é uma coisa da individualidade de cada um. Agora fazer passeata exigindo respeito sem mostrar o respeito é demais! Há de haver aperfeiçoamento nas leis, mas tudo tem que ser exigido de forma a mostrar que nossos direitos já estão inseridos na Carta Magna, pois somos cidadãos e iguais perante a Lei e o Estado.
Infelizmente, além de fazerem a coisa errada, ainda demonstram falta de respeito para com os que estão assistindo, pois já ouvi depoimentos de conhecidos meus, sobre o espetáculo que presenciaram: várias pessoas fazendo sexo por debaixo da bandeira. Um verdadeiro absurdo que no dia em que eu ver vou fazer de tudo para denunciar à polícia e se duvidar ao Ministério Público.
A partir do momento em que sou brasileiro, estou ressalvado pela Constituição Nacional e pronto. Tenho direitos e deveres como qualquer pessoa. Não é minha sexualidade, religião ou outro gosto meu que vai definir se tenho ou não direito a algo. Mas é difícil quando se trata de ter dirigente burros e pessoas obtoladas que não pensam no que fazem, não têm visão de futuro e ainda vivem em demagogia pura.
Portanto, achar que candidatar-se a algum cargo público vai fazer com que a classe se una a favor, é idiotice, tendo em vista que temos pensamentos diferentes e individuais.
¿Beijos!

terça-feira, 13 de maio de 2008

#106 - Não Basta ser Burocrata. Tem que ser Burro!

Acredito, ainda, no potencial que o nosso país tem. No entanto, a evolução virá por meio da iniciativa privada, pois se depender do Estado, retrocederemos a Era Feudal e teremos que nos fuder com o pagamento de impostos para sustentar uma classe tão inútil quanto a dos parasitas, digo, política.
Fico imporessionado, ainda, com os nosso governantes, principalmente no Estado do Rio de Janeiro, do qual resido.
Temos um presidente, que mostra ser um verdadeiro calhorda e demagogo em meio ao caos generalizado. Abre os cofres públicos aos parlamentares (corruptos) quando se sente ameaçado com as votações mais importantes no Congresso e o povo carente de serviços que poderiam minimizar o sufoco que passamos diariamente. Esse é apenas um exemplo em meio a quantidade de absurdos que ocorrem em nosso país.
Quanto a "burrocracia", um ótimo exemplo está no que ocorreu comigo há algum tempo atrás, no Rio de Janeiro, quando fui assaltado à mão armada e levaram meu celular Nokia 6060, no ano passado.
Ao tentar registrar queixa na delegacia mais próxima que estava - 19ª DP - Tijuca, fui informado que deveria dirigir-me à delegacia da região da qual fui assaltado - 20ª DP - Vila Isabel, para que fosse acrescentado nas estatísticas de roubo por região. Porra! Se o sistema está informatizado, por que não transmitir as ocorrências via rede? O fato é que as pessoas têm má vontade (como a maioria dos servidores públicos) em atender ao cidadão e a incompetência administrativa do Estado não faz nada para que isso se modifique.
Eis o que está registrado no site sobre a Delegacia Legal:

"O Programa Delegacia Legal foi concebido para modificar radicalmente a forma como a Polícia Civil vem desenvolvendo suas atividades através da transformação de todas as delegacias em Delegacias Legais."
"...a qualidade dos serviços policiais, através do uso de tecnologia, ..."
"...investiu cerca de 102 milhões de reais em obras, equipamentos e pessoal técnico e administrativo..."

O mais incrível é que o sistema de administração pública é hiper ultrapassada, reconhecida por muitos administradores e políticos mas ninguém faz nada para modificar...
E para concluir, o nosso presidente está aumentando os gastos públicos fixos ano a ano. Acredite quem quiser, mas o próximo presidente vai ter um tremendo abacaxi para descascar e se não agir com pulso forte, vão nos atolar com impostos ou veremos o país falir de vez.
Fica aqui meu protesto quanto a essa falta de "inteligência" de nossos políticos.
¿Até!

domingo, 4 de maio de 2008

#105 - Sobre a Bíblia.

Nasci, fui batizado em Igreja Católica Apostólica Romana, freqüentei a igreja católica e diversas outras de religiões protestantes, terreiros de Ubanda e Candoblé e conheci o Espiritismo (leia-se kardecismo) aonde "me encontrei" de fato.
Com o passar do tempo, lendo muito, estudando e observando todas as religiões das quais freqüentei, verifiquei que cada qual se acha melhor do que a outra com um detalhe que não deve ser deixado de lado: a crítica ferrenha as demais religiões. Coisas desse tipo, não observo no espiritismo e apesar de terem uma filosofia própria, também é uma doutrina cristã e está sempre buscando os melhores exemplos de paz, harmonia e amor em todas as religiões, sem excessão alguma. Até mesmo a igreja do pastor Edir Macedo foi comentada em certa palestra, como uma instituição que ajuda algumas pessoas que ainda não tem perfeita compreensão das questão religiosas e se não fosse pela tal, estariam fazendo coisas ruins por aí.
Enfim, estou longe de chegar a perfeição, ainda mais que eu "malho" e muito tais religiões que dominam as mentes ignorantes e sugam desses o pouco que têm.
Mesmo convertido e certo da doutrina espírita, João Paulo II foi um homem exemplar pela capacidade de conciliação entre os diversos credos no mundo afora e também por sua capacidade de diálogo com tais, sem que houvesse julgamento de superioridade ou inferioridade de uma ou outra religião.
Eis que chega Joseph Alois Ratzinger - Bento XVI, para substituir João Paulo II e faz um verdadeiro estrago, na opinião de muitas pessoas lúcidas e até mesmo de ateus convictos, em relação às conquistas de seu antecessor.
Eis uma delas:

"10 jul 2007 - A Igreja Católica "não renuncia a sua convicção de ser a única e verdadeira" Igreja de Cristo, mas reconhece que nas ortodoxas e nas "comunidades cristãs" surgidas após a Reforma Protestante há elementos de salvação, mesmo sem considerá-las Igrejas.
É o que afirma o documento "Respostas a algumas perguntas sobre certos aspectos da doutrina sobre a Igreja", preparado pela Congregação para a Doutrina da Fé (antigo Santo Ofício) elaborada com 5 questões.
A segunda é "como se deve entender a afirmação de que a Igreja de Cristo subsiste na Católica?" e a resposta é que Cristo "constituiu apenas uma Igreja" na Terra..."

Para mim chega! Jesus não fundou igreja alguma e esse ar de superioridade só virá a trazer mais problemas.
Outra coisa que questiono sempre é a Bíblia... Simplesmente as pessoas ou fingem seguí-la ou são tão idiotas e imbecis que não param para questionar o porque de certas escrituras, todas escritas pelo homem diga-se de passagem, e em hebraico (língua pobre em significados que pode trazer diversas interpretações quando traduzidas para outras línguas), como a uma passagem que transcrevo abaixo, aonde colocam Deus como um ser vingativo, mal e que não dá oportunidade aqueles que não são considerados "perfeitos".

“Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, ***nem os efeminados, nem os sodomitas, *** nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.”

Diante do exposto, mostro claramente que as igrejas católicas e protestantes que se dizem donas da Verdade, entram em contradição com o que Jesus disse de forma simples, clara e objetiva: "Amai uns aos outros como ama a ti mesmo". O que dizer então?
¿Paz!

terça-feira, 22 de abril de 2008

#104 - Enquanto isso, no Planalto Central...

Nossos deputados aumentaram seu próprio salário de R$ 12,847,20 para R$ 24.500,00! Enquanto isso o salário mínimo foi reajustado em apenas R$ 25,00 em 2007.
Ouço muita gente reclamar da mídia e de nossos governantes, sem porém pensar numa solução para tal. Ao contrário, muitos do que reclamam querem também estar no mesmo patamar ou próximo o dessa gente.
Desculpe aos que são a favor do "concurso público" em nome da estabilidade, mas sempre achei um absurdo os funcionários ganharem o que ganham para prestar um péssimo atendimento à população e ainda por cima aposentarem-se com direito a salário integral. O mesmo falo dos salários absurdos de nossos parlamentares. Mas, o que tem a mídia a ver com isso?
Será que a mídia consegue atingir toda a população? Será que os formadores de opinião não pagam impostos, não tem seus salários associados a produtividade individual? Por favor! Que existem alguns erros, existem sim, mas temos que ser coerentes e olhar tudo por outro ângulo, também. De nada adianta ficarmos na crítica nada construtiva se não apresentarmos soluções e pressionarmos por ela.
No mês de Agosto de 2007, o Ministério Público esteve de parabéns pelo excelente desempenho ao denunciar ao STF - Supremo Tribunal Federal os 40 indiciados no escândalo do "mensalão" e ao contrário que muitos acreditavam não acontecer, o STF aceitou o julgamento dos 40 envolvidos.
Temos que ter consciência de que há uma nova mentalidade a respeito dos absurdos que vemos por aí ou as pessoas cansaram de assistir de camarote a tantos atos ilícitos sem julgamento sequer dos culpados, para desespero total de todos os envolvidos.
Voltando ao caso do aumento do próprio salário, ressalvo que tão culpado quanto os que votaram a favor, são aqueles que ausentaram-se da votação, dando margem para que essa corja roube mais ainda o contribuinte. Sim! Para mim é roubo descarado o aumento absurdo em quase 100 % os salários milionários que eles recebem.

Havia vinte e seis parlamentares presentes. Quem votou a favor:
Aldo Rebelo (PC do B-SP)
Renan Calheiros (PMDB-AL)
Ciro Nogueira (PP-PI)
Jorge Alberto (PMDB-SE)
Luciano Castro (PL-RR)
José Múcio (PTB-PE)
Wilson Santiago (PMDB-PB)
Miro Teixeira (PDT-RJ)
Sandra Rosado (PSB-RN)
Coubert Martins (PPS-BA)
Bismarck Maia (PSDB-CE)
Rodrigo Maia (PFL-RJ)
José Carlos Aleluia (PFL-BA)
Sandro Mabel (PL-GO)
Givaldo Carimbão (PSB-AL)
Arlindo Chinaglia (PT-SP)
Inácio Arruda (PC do B-CE)
Carlos Willian (PTC-MG)
Mário Heringer (PDT-MG)
Inocêncio Oliveira (PL-PE)
Demóstenes Torres (PFL-GO)
Efraim Moraes (PFL-PB)
Tião Viana (PT-AC)
Ney Suassuna (PMDB-PB)
Benedito de Lira (PL-AL)
Ideli Salvatti (PT-SC) (abstenção)

Votaram contra:
Heloísa Helena (PSOL-AL)
Chico Alencar (PSOL-RJ)
Henrique Fontana (PT-RJ)

Espero que essa lista ajude na reflexão das próximas eleições.
¿Boa Sorte!

domingo, 13 de abril de 2008

#103 - A Arte de Relacionar-se.

Por vezes, acho que as pessoas desaprenderam a relacionar-se com outras pessoas. Talvez não esteja eu, procurando no lugar certo, mas percebo que pessoas de idade um pouco mais avançada não sabem como chegar em outras e muito menos conseguir um relacionamento decente. Estava cadastrado no site Manhunt.net afim de encontrar alguém legal para um relacionamento duradouro. Pura impressão a minha... Tal qual o Disponível.com, esse é um lugar horroroso, pois além de se ver o nudismo e sensualismo a mostra de forma descabida (mostrado desde o indivíduo mais novo ao elemento com idade para ser meu tio ou até mesmo avô) há também o excesso de hipocrisia, mentira e demagogia.
Quem me conhece, sabe que apesar de estar com quase 35 anos, sou uma pessoa tranqüila porém com uma capacidade de raciocínio e dinamismo fora do comum. É como se tivesse uma idade inferior a registrada. Por tal motivo, prefiro caras mais novos, pelo fato de poder discutir temas da atualidade e usufruir da vida com o melhor que ela tem a oferecer. Por enquanto, está sendo um verdadeiro desastre pois o pessoal que ando conhecendo tem limitações sérias, não lêem, não assistem um telejornal, não conhecem um jornal que seja, revista então, só GMagazine, Junior e outras eróticas, não sabem o que se passa no Brasil e no mundo, e por fim, não sabem de nada! Daí, fui à caça por pessoas mais velhas afim de trocar conhecimento e experiências...
Eis o que encontrei:

"*paulojose1964@hotmail.com diz (02:53):
to vomitando

willitirapelli@walla.com diz (02:53):
Tomou Melagrião?

*paulojose1964@hotmail.com diz (02:53):
perai
vou tocar uma punheta
puta
vou gozar muito
quero gozar na tua cara

willitirapelli@walla.com diz (02:54):
Como? Não estou lendo isso!

*paulojose1964@hotmail.com diz (02:54):
depois encher esse teu rabo sedento de pica

willitirapelli@walla.com diz (02:54):
Como é que é?
Acho que você está me confundindo.

*paulojose1964@hotmail.com diz (02:55):
to nao
meter muito nesse teu cu largo
cof cof cof
vomitando.

Simplesmente perguntei a um amigo de SP o que iria fazer...

willitirapelli@walla.com diz (02:56):
Gustavo, meu amigo!
O que eu faço?

gc_pessanha____@hotmail.com diz (02:56): Bloqueia esse infeliz, oras...
Meu, esse cara é doente..."

Dito e feito! Sinceramente... Vou passar a freqüentar teatros e museus que eu ganho mais.
¿Tchau!

domingo, 6 de abril de 2008

#102 - Atendendo a pedidos... Amor ou Paixão?

Hão os que me achem louco, outros inconseqüente, sem juízo e até mesmo idiota. O que sou de fato? Já tentei de várias maneiras entender o que esse sentimento significa. Descobri bastante, não só com a ajuda da leitura, mas também com o tempo, com a escola da vida, com estudo do comportamento humano e social e também na religião. Descobri que há uma sutil diferença entre amor e paixão.
Já fui apaixonado várias vezes e não tinha noção do que era amor de verdade. Um velho conhecido, o Kei, dizia que a paixão é o começo do amor. A maioria não concorda com essa aproximação (até mesmo meus não amigos) e muitos apostam na minha infelicidade e tristeza. Há muito tempo não temo minhas atitudes e estou mais do que certo que minha aproximação com o Rodrigo Bispo não trará tristeza alguma, tendo em vista que já sofri tudo o que tinha que sofrer por ele (inclusive aguentar uma bela depressão), ocorrida há mais ou menos 4 anos atrás. Aprendi muito mesmo e agradeço a ele.
Não considero tal fato como derrota ou fracasso mas sim aprendizado. Isso foi paixão. Paixão louca e cega, que despertou em mim a necessidade de enxergar, abrir os olhos para o mundo cruel e para uma realidade cheia de paradigmas a serem quebrados, além da necessidade de viver sem ter a vergonha de ser feliz, independente de críticas ou observações maliciosas a meu respeito ou de quem quer que seja.
E o que sobrou de todo esse sentimento inflamado? O Amor!
Descobri, depois de vários relacionamentos, que o amor é um sentimento nobre e bonito e não uma paixão cega que não nos deixa viver. O amor é superior a tudo (podemos amar ao mundo, desde que estejamos prontos a nos amar primeiro) e hoje posso afirmar que o amo, mas não mais do que a mim mesmo. Estou feliz comigo mesmo por saber que amo (seja lá quem for) e não sou contagiado por paixões, ciúmes doentios ou coisas do gênero. Hoje, amo (além de mim) minha família, meus amigos, tudo o que tenho, uma coisinha muito fofa de Curitiba e fico feliz por saber que sou amado. O mundo é grande e grande é maior ainda a quantidade de pessoas que fazemos trocas diariamente. Tenho amigos (verdadeiros e não de boites ou bares) maravilhosos que posso contar a qualquer momento.
Só espero que ele seja feliz e que se algum dia tivermos algo além do coleguismo (pois a amizade é a base para qualquer relacionamento e isso não temos), seja muito legal e que sirva de lição para aqueles que sempre torcem pela infelicidade alheia.
¿Beijos!

sábado, 29 de março de 2008

#101 - Aonde come um, comem dois.

Apesar de estarmos em pleno Século XXI, não consigo adaptar-me a modernidade do mundo atual. Apesar de pertencer há um grupo que vem crescendo muito ultimamente (praticamente em PG - Progressão Geométrica), me preocupa a fama que recebemos de promíscuos, vulgares, fúteis e outros adjetivos da pior espécie que um gay pode receber...
Vejo com certo receio e porque não dizer avesso, aos relacionamentos que alguns casais chamam de "aberto". Por mais que haja acordo entre ambas as partes, não me agrada a idéia de ter que "dividir" alguém com outra pessoa, tendo em vista que você passa a viver apenas um momento com essa e outros momentos são desfrutados com outro.
Conheço alguns casais que usam deste artifício para manterem o relacionamento "sólido" e "duradouro". Penso que, se há amor, tudo pode ser resolvido e a questão que muitos abordam que é a sexual, também. Para isso existem terapias e tratamentos diversos.
Identifico aí um grande problema para a maioria das pessoas, que é a ausência de coragem em encarar certos problemas de frente e também de criatividade. Existem inúmeras possibilidades para que um relacionamento não caia na rotina. Basta para isso um pouco de simplicidade, coragem e criatividade. Existem outros tipos de prazeres, que transcedem a carne, invadem o espírito e alimentam a alma. Há algo melhor do que estar do lado de quem se gosta, seja em um teatro, cinema, parque, restaurante, bar, boite etc. com amigos em volta e sem a necessidade de interferência de uma terceira pessoa?
Sexo é bom mas não é tudo. O poder compartilhar uma vida é algo muito mais precioso do que qualquer pulada de muro.
Nada melhor do que usar a criatividade e não entrar na rotina.
¿Beijos! & ¿Abraços!

sábado, 15 de março de 2008

#100 - De fascínio e paciência é feita uma coleção.

O único ponto em comum entre um colecionador de objetos exóticos e outro de bonecas, por exemplo, é o amor pelo hobby.
O que pode parecer um sentimento normal na verdade é algo tão forte ao ponto de o pintor Rogério Teruz dizer que "todo mundo é um colecionador em potencial": - A minha coleção de carros é gostosa porque minha mulher e meus filhos me ajudam e partilham dela - acrescenta.
Há coleções que, pelo menos aparentemente, carregam uma contradição. Fanny Berta, que vende antiguidades na feira de Niterói/ RJ, nunca gostou de brincar com bonecas, porém hoje tem mais de 500. Outras surgem na adolescência e são levadas a sério até a vida profissional - o divulgador de teatro Luís Augusto Diogo é colecionador de cartazes e programas desde os 18 anos.
A maioria dos colecionadores se preocupa em conservar o acervo. Não é o caso de Nancy Hartstein, americana de Long Beach que se mudou para o Brasil há oito anos. Ela gosta de juntas xícaras e... ainda mais de usá-las. - Dá muito mais prazer tomar café com leite numa chávena Royal Copenhagen - dia.
Porém, Nancy não coleciona apenas xícaras, cujo preço não pode ultrapassar US$ 15,00. Abridores de luvas, instrumentos parecidos com tesouras usados antigamente para adaptar luvas também são do seu interesse. E objetos de louça usados para alimentar doentes antes da difusão dos canudos também.
Para facilitar a compra de novas peças ela montou um pequeno antiquário, mas ainda assim percorre bazares e feiras para aumentar sua coleção.
(O Globo - 31/03/1991 - Alexildo Vaz)
Eu coleciono DVD's, CD's, selos e carros em miniaturas.
E você: qual a sua coleção?

domingo, 9 de março de 2008

#99 - Na vida nada se cria, tudo se copia.

Essa é uma máxima conhecida pela maioria das pessoas, creio eu, e que poucas procuram buscar conhecer sua origem.
Pensando nesse velho ditado, lembrei dos japoneses que começaram a copiar os produtos norte-americanos, em versão miniaturizada e também nas peças publicitárias (aonde ouve-se falar muito de plágio) entre outras coisas.
Esses dias fui taxado por um amigo de "antiquado" por estar usando o Netscape Navigator 9.0 em detrimento do Mozilla Firefox 2.0.
Além de eu tê-lo mandado pastar, por não ter nada a ver com a minha vida, fui saber o que cada um tinha de diferente, além da língua (inglês x português).
A pesquisa começou com a navegação pela internet, conversa com amigos e troca de idéias e verifiquei que alguns usam navegadores diferentes do tão famoso Internet Explorer. Já conhecia o Netscape Navigator de outrora e sai à caça para descobrir outros programas, além do não menos famoso Mozilla Firefox, criado principalmente para atender usuários do Linux e concorrer com o Internet Explorer (como o Netscape Navigator).
Procurei pelos que já havia visto alguma vez sendo utilizado por um de meus amigos e listei 6 diferentes e os instalei em meu pc.
Cada qual com sua particularidade, descobri que (para minha surpresa) todos são semelhantes entre si. O famoso sistema de abas é presente em todos e não há muito que discutir além do design e do "peso" medido em MB.
O que mais me impressionou é que o sistema de abas eu já o conhecia desde 2003, quando comecei a usar o Netscape Navigator 7.0 e somente 3 anos após que passou a ser utilizado em outros, inclusive no da Microsoft, que está na versão 7.0 (conscidentemente a mesma do Navigator de 2 anos atrás).
Mais uma vez, assim como foi feito com o Windows (para quem não sabe, o famoso sistema operacional teve a arquitetura copiada da Apple) todos apresentam novidades tão novas quanto os discos de Roberto Carlos.
No mais, vale a pena procurarem em sites de download ou no do fabricante para baixar e testar o que mais achar conveniente.
¿Beijos!

domingo, 2 de março de 2008

#98 - Seis por Meia Dúzia.

Não sou de comentar sobre minha vida aqui, mas as vezes tenho necessidade de expôr alguns fatos que se passam comigo.
Sempre disse ser uma pessoa legal, porém não sou perfeito e estou muito longe de ter tal status. Não que eu queira, mas seria pretenção demais dizer que sou tão bom quanto "outrem".
Como dito anteriormente, me chamo Willian e sou fruto da relação entre Fernando e Nilza. Dele, aprendi algumas lições básicas de princípios, como por exemplo manter as contas sempre pagas em dia e dela (não que a mesma fosse uma caloteira), aprendi a ser ousado e sempre a querer coisas novas e um pouco mais do que o mundo tem a oferecer. Ambos têm defeitos e qualidades, pois são pessoas normais como quaisquer outras, mas vou focar somente o que propus escrever.
Crescendo, observava meus pais e tive minha mãe como um ícone. Sempre foi uma mulher ágil, destemida e ousada. Nasceu na roça, foi professora da escola em que estudou, aprendeu a costurar de forma brilhante, é ótima desenhista, sempre muito inteligente (acho que provou o contrário quando casou) e ativa, foi secretária executiva, chegou a estudar inglês no Yes, foi gerente de uma joalheria na zona sul, só andava de salto alto e numa elegância de fazer inveja aos vizinhos (que desciam e subiam a ladeira que morávamos com sapatinho baixo), enfim... Foi uma mãe dura, de poucas palavras, mas muito divertida, que apesar de dizer não gostar de festas, sempre as fez com os mais variados temas (ela propunha e nós criávamos tudo), o que não era diferente no Natal. Também era uma pessoa amável, apesar das surras que dava (eram bem dadas), mulher de pulso forte e opiniões mais ainda (típico de gente de Libra). Graças a ela, sempre tivemos um padrão de vida acima da média, pudemos (eu e minha irmã) estudar em colégio particular quando o ensino público começou a dar sinal de falência, o nosso apartamento foi comprado, reformado (sob protestos do meu pai) e até carro ela tinha e dirigia (até que meu pai descobriu que o motor do Fusca dela era possante e o trocou por outro comum).
Mau pai, apesar de ser um trabalhador (motorista de taxi) honesto e incansável, sempre foi entregue a bebida e eu assistia (feliz ou infelizmente) isso dia-após-dia. Perdi algumas noites com a minha mãe, esperando-o chegar.
Minha mãe, continuando a pensar grande, providenciou para que fóssemos para um apartamento na parte de baixo, pois já estava ficando desgastante subir e descer, além da necessidade de mais espaço, pois era um quarto para mim e minha irmã. A vida foi seguindo até que um dia minha mãe não suportou mais o desdém do meu pai com a família e resolveu sair de casa para viver com outro cara.
Via de regra, percebido por mim, todas as mulheres que se separaram ficaram melhores, não só aparentemente mas em todo o contexto. Como toda a regra tem sua excessão, minha mãe tirou a sorte grande e entrou nessa furada.
Não que o cara seja má pessoa, mas percebi que minha mãe foi ficando diferente dia-após-dia, perdendo todo o seu brilho, sua garra, tranformando-se numa pessoa medrosa (coisa que ela nunca foi), triste, amarga e sem muita vontade de prosseguir (vale lembrar que ela assistiu à morte de 4 irmãos e de seus pais - avós marvilhosos).
Tentei e ainda tento por várias vezes resgatar aquela "mulher-maravilha" que tinha dentro dela mas é complicado, principalmente quando a pessoa não quer ser ajudada.
Ver minha mãe sofrendo quietinha e murchado como uma flor que não é cuidada, se apagando aos poucos é deprimente. Fico triste diante desse quadro tão lastimável e continuo fazendo a minha parte, com incentivo, preces e mostrando que apesar de não ser o "homem" que ela quis, sou tão homem quanto qualquer um que há por ai. Do que valeu trocar seis por meia-dúzia?
¿Até!

domingo, 24 de fevereiro de 2008

#97 - Quem sou eu?

Para variar um pouco, estou aqui mais uma vez apresentando-me e tentando ser o mais transparente possível nas informações prestadas.
Chamo-me Willian, filho de Nilza e Fernando, neto de campista e italiano, nascido no Rio de Janeiro em 14 de Julho de 1973, regido sob o signo de câncer, espírita (kardecista), alguém normal, que sonha (e muito) com qualidades e defeitos como qualquer pessoa.
Gosto de ler, de música (funk não se aplica), jogos de todos os tipo, adoro filmes (em especial alguns seriados dos anos 80), sou um cara romântico, gosto de cultura, de bons lugares, de boa companhia, sou otimista, amo amigos e minha família, gosto de aprender (as vezes aprendemos com nossos erros, mas sempre aprendemos), adoro viajar, gosto de reunir amigos em casa etc.
Vou colocar aqui o que diz o Wikipedia a respeito do meu signo e ao final dizer o que não cabe a mim.

Câncer
"Tímidos e misteriosos, os cancerianos são muito ligados a tradições. É o signo do sonho, da ternura, imaginação e da memória tenaz que fixa e idealiza as recordações, acontecimentos e sentimentos do passado para se proteger contra as incertezas do futuro. Sedutor e sensual. O amor de câncer tem sempre algo de contos de fadas, com a sua princesa, o seu príncipe encantado, mas também com uma maldição a combater e monstos ameaçadores. É o amor puro das crianças, o amor maternal, o amor romântico, mergulhado num sonho ideal e inacessível ou definitivamente parado num rosto ou num nome. O humor do canceriano é extremamente mutável e em ocasiões tende a ser rabugento e agressivo, uma vez que sua necessidade de auto-defensa (às vezes antes mesmo de ser atacado) é uma de suas características fundamentais. Oscila entre o júbilo e a depressão. Podem ser muito fechados. Costumam ser muito capacitados intelectualmente e extremamente ligados às artes e à poesia."

Não há nada que contradiga a respeito de minhas características. Como podem perceber, sou uma pessoa em busca de minha paz espiritual.
Eis o que pensam sobre mim. (vide imagem acima)
¿Beijos!

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

#96 - Vamos a uma FestadoAp ?

Todos, algum dia, devem ter ouvido algo a respeito das cidades de Sodoma e Gomorra. Há um tempo atrás, recebi um convite de um colega meu para participar de algo semelhante, com a diferença que só haviam homens. Após receber o convite, analisar as fotos de edições anteriores da festa e checar que a coisa é realmente semelhante a uma Sodoma e Gomorra, cheguei a conclusão de que aquilo não é meu lugar. Não quero aqui expôr um falso moralismo, até porque eu gosto de sexo e já realizei algumas "fantasias", mas daí a dizer que vou entrar em um local com muita gente que eu não conheço e sair fazendo sexo a torto e direito, é complicado.
O mais incrível é que eventos como esse ficam cheio de gente que não se assume, casados, compromissados etc. o que dá margem a aquisição de inúmeras doenças (até pela falta absoluta de higiene do local, segundo as fotos que observei), não só físicas mas espirituais também.
O que leva alguém compromissado (é o caso da pessoa que chamou-me) para ir a um lugar desses, fazer sexo com quem nunca se viu antes e ainda por cima, deixar-se ser fotografado em cenas só comparáveis a de filmes pôrnos?
Sei que existe todo o tipo de coisa no mundo, que isso não é uma das piores, mas venhamos e covenhamos... Seria tão bom se as pessoas vivessem uma vida "normal", aonde os casais se respeitassem não só um ao outro mas a si mesmo.
Enfim, não sou ninguém para criticar àqueles que se expõe a esse tipo de situação, entretanto confesso não querer alguém disposto a aventuras desse tipo.
¿Beijos!

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

#95 - Uma Questão de Lingüística.

Programa de incentivo ao uso da língua portuguesa

Eis aqui um programa de cinco anos para resolver o problema da falta de autoconfiança do brasileiro na sua capacidade gramatical e ortográfica. Em vez de melhorar o ensino, vamos facilitar as coisas, afinal, o português é difícil demais mesmo. Para não assustar os poucos que sabem escrever, nem deixar mais confusos os que ainda tentam acertar, faremos tudo de forma gradual.
No primeiro ano, o "Ç" vai substituir o "S" e o "C" sibilantes, e o "Z" o "S" suave. Peçoas que açeçam a internet com freqüênçia vão adorar, prinçipalmente os adoleçentes. O "C" duro e o "QU" em que o "U" não é pronunçiado çerão trokados pelo "K", já ke o çom é ekivalente. Iço deve akabar kom a konfuzão, e os teklados de komputador terão uma tekla a menos, olha çó ke koiza prátika e ekonômika.
Haverá um aumento do entuziasmo por parte do públiko no çegundo ano, kuando o problemátiko "H" mudo e todos os acentos, inkluzive o til, seraum eliminados. O "CH" çera çimplifikado para "X" e o "LH" pra "LI" ke da no mesmo e e mais façil. Iço fara kom ke palavras como "onra" fikem 20% mais kurtas e akabara kom o problema de çaber komo çe eskreve xuxu, xa e xatiçe.
Da mesma forma, o "G" ço çera uzado kuando o çom for komo em "gordo", e çem o "U" porke naum çera preçizo, ja ke kuando o çom for igual ao de "G" em "tigela", uza-çe o "J" pra façilitar ainda mais a vida da jente.
No terçeiro ano, a açeitaçaum publika da nova ortografia devera atinjir o estajio em ke mudanças mais komplikadas serão poçiveis. O governo vai enkorajar a remoçaum de letras dobradas que alem de desneçeçarias çempre foraum um problema terivel para as peçoas, que akabam fikando kom teror de soletrar. Alem diço, todos konkordaum ke os çinais de pontuaçaum komo virgulas dois pontos aspas e traveçaum tambem çaum difíçeis de uzar e preçizam kair e olia falando çerio já vaum tarde.
No kuarto ano todas as peçoas já çeraum reçeptivas a koizas komo a eliminaçaum do plural nos adjetivo e nos substantivo e a unificaçaum do U nas palavra toda ke termina kom L como fuziu xakau ou kriminau ja ke afinau a jente fala tudo iguau e açim fika mais faciu. Os karioka talvez naum gostem de akabar com os plurau porke eles gosta de falar xxx nos finau das palavra mas vaum akabar entendendo. Os paulista vaum adorar. Os goiano vaum kerer aproveitar pra akabar com o D nos jerundio mas ai tambem ja e eskuliambaçaum.
No kinto ano akaba a ipokrizia de çe kolokar R no finau dakelas palavra no infinitivo ja ke ningem fala mesmo e tambem U ou I no meio das palavra ke ningem pronunçia komo por exemplo roba toca e enjenhero e de uzar O ou E em palavra ke todo mundo pronunçia como U ou I, i ai im vez di çi iskreve pur ezemplu kem ker falar kom ele vamu iskreve kem ke fala kum eli ki e muito milio çertu ? os çinau di interogaçaum i di isklamaçaum kontinuam pra jente çabe kuandu algem ta fazendu uma pergunta ou ta isclamandu ou gritandu kom a jenti e o pontu pra jenti sabe kuandu a fraze akabo.
Naum vai te mais problema ningem vai te mais eça barera pra çua açençaum çoçiau e çegurança pçikolojika todu mundu vai iskreve sempri çertu i çi intende muitu melio i di forma mais façiu e finaumenti todu mundu no Braziu vai çabe iskreve direitu ate us jornalista us publiçitario us blogeru us adivogado us iskrito i ate us pulitiko i u prezidenti.
Olia ço ki maravilia!
(E-mail enviado por Aninha Brasil - 7 X 7)

Se alguém conseguiu a proeza de ler até o final, parabéns desde já!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

#94 - Confiança

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande. As pessoas não estão neste mundo para satisfazer nossas expectativas, assim como não estamos aqui para satisfazer as delas.
Temos que nos bastar. Nos bastar sempre e quando procurarmos estar com alguém, fazer isso ciente de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e porque nos sentimos bem mas nunca por precisar de alguém.
As pessoas não se precisam. Elas se completam não por serem metades, mas por serem pessoas inteiras, dispostas a dividirem objetivos comuns, alegrias e vida.
Nunca se abandone...
A grande maioria das pessoas sofre justamente por causa disso. Entregam-se às outras pessoas sem ao menos gostar de si próprio.
Sofrem porque deixaram a retaguarda aberta, confiaram demais, esquecendo-se principalmente que somos seres imperfeitos d'alma e com tantos defeitos quanto qualidades e um de nossos defeitos é o de não aceitar o do próximo.
Façam como São Francisco de Assis... Dê sem esperar nada em troca. Ame incondicionalmente.
Alguns devem comentar sobre a famosa Lei da Atração, pois como fazer algo sem esperar nada em troca? Simples. Não espere de quem está fazendo porque outro virá para te dar o que precisa no momento certo.
Confie sempre na providência divina, pois ela nunca falha.
¿Beijos!

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

#93 - Como se mede uma pessoa?

Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento.
Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena pra você quando só pensa em si mesmo, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.
Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto. É pequena quando desvia do assunto.
Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.
Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições? Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.
É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho.
¿Beijos!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

#92 - Saiba por que os blogs não são mais bricandeira.

O blog é diferente de um website tradicional. Ele não tem a seriedade de um site, que geralmente foi criado para algum fim específico, seja para divulgação, transação comercial, institucional etc.
Não se sabe exatamente quando os blogs deixaram de ser considerados “mais uma futilidade dos tempos modernos” para serem uma eficiente ferramenta de informação. Não há registro da data exata de quando esses diários pessoais surgiram, mas especula-se que o primeiro endereço na Internet com conteúdo similar aos webblogs que conhecemos hoje apareceu em 1983.
Essa página não era uma versão online do diário de seu criador, Brian E. Redman, mas sim um espaço na rede para ele, juntamente com outros amigos, postarem links que levavam a outros sites

Do diário a teses acadêmicas
Entre os anos de 1994 a 2001, os blogs eram basicamente páginas pessoais sem nenhum compromisso de conteúdo. Eles estavam restritos basicamente aos internautas interessados em usar aqueles espaços para falar de suas vidas. Mas, com a expansão de acesso à banda larga em todas as partes do mundo, os blogs tornaram-se mais um meio de notícia e espaço para a discussão de todo ou qualquer tema.
Tim O´Reilly, considerado um dos autores que mais publicam livros sobre computação do mundo e criador do termo “Web 2.0” para designar a Internet interativa, considera que blogs são a evolução das antigas páginas pessoais.
Os interessados em uma análise mais profunda do assunto encontram uma infinidade de livros sobre o tema. Dan Burstein e David Kline são autores do livro “Blog! – Como a nova revolução da mídia está mudando a política, os negócios e a cultura” (sem tradução para o português), baseado em coletânea de textos, entrevistas, comentários relacionados ao assunto.
No mercado editorial nacional, é possível encontrar o título “Blog – entenda a revolução que vai mudar o seu mundo”, de Hugh Hewitt, que considera a blogosfera, ou conjunto de todos os blogs do mundo, um fenônemo repentino que está alterando os hábitos das pessoas no acesso à informação. Teses acadêmicas que exploram o assunto são inúmeras, principalmente na área de Comunicação Social e linguagem.

Passatempo que vira notícia
Depois que os blogs firmaram-se como mais uma fonte de informação, eles tornaram-se trabalho constante para muitos profissionais que antes sequer tinham intimidade com a Web. Em evento sobre tendências da mídia na Internet em junho de 2007, Ricardo Noblat disse que sequer conhecia o que era um blog. Jornalista experiente com trânsito entre políticos de Brasília, Noblat falou que só abriu iniciou um blog porque fizeram um para ele. Na época, ele não tinha a menor idéia de como atualizar a página com novos textos. Hoje, o blog do jornalista é o mais acessado no País, segundo pesquisa do Technorati.
Porém, fazer jornalismo em blogs não significa dizer o que bem entende, sem responsabilidade alguma. A maioria dos portais de notícias do mundo mantém uma seção de blogs, preenchida com os nomes mais importantes de sua redação. A diferença do trabalho exercido nesses casos é a liberdade no trato do assunto, da linguagem empregada, dos recursos audiovisuais e do espaço de postagem praticamente ilimitado.
O jornalista Rui Maciel, que escreve para o blog de tendências novidades em tecnologia TechGuru (http://www.techguru.com.br/), diz que quando se tem uma página como profissão, “o segredo, como em qualquer outro veículo jornalístico, é trazer a informação correta, sempre que possível em primeira mão, ser claro e objetivo”.
Antes de escrever para blog, Maciel trabalhou em vendas e também na área de tecnologia. Depois que se formou em Jornalismo, escreveu sobre cultura e variedades até começar cobrir o setor de Tecnologia da Informação. Hoje, atualizar a página e “pensar” o TechGuru é a sua principal atividade profissional.
Ele ressalta os recursos multimídia que um blog oferece. “A principal vantagem é a possibilidade de o blog não contar com um formato quadrado, em que a notícia tem de sair sob um determinado padrão, tanto visual quanto escrito. Você pode mudar o formato do conteúdo. Há posts que privilegiam a imagem, outros que dão preferência ao texto e outros que focam o vídeo”.

Cada vez mais sério
Em 2006, autoridades do Sudão expulsou três membros da ONU (Organização das Nações Unidas) que estavam em missão oficial ao país porque um deles criticou o governo local e grupos rebeldes em seu seu blog. Jan Pronk era o principal comandante da missão em cargo e recebeu um prazo de três dia para deixar o país.
Já no Ocidente rico e desenvolvido, um dos economistas de mais alto cargo do FMI (Fundo Monetário Internacional) - Simon Johnson, responsável pelo departamento de pesquisas - acaba de lançar um blog em que pretende escrever sobre economia global, principalmente para pessoas que "não estão presentes em coletivas de imprensa".
O lançamento da página virtual surgiu para aproveitar um acontecimento do ciclo de conferências do FMI e do Banco Mundial em Washington. Johnson pretende usar o espaço para receber perguntas e comentários sobre o evento. Ele deixa evidente que jornalistas são bem-vindos, mas o foco principal do blog é conversar diretamente com pessoas que estão no dia-a-dia das reuniões. Johnson não exclui a possibilidade de postar sobre as outras atividades do FMI. Os comentários enviados pelos leitores são selecionados antes da publicação.

Publicado no Yahoo! - Qui, 18 Out, 2007 - 23h00