segunda-feira, 6 de setembro de 2010

#182 - Um peixe fora d'água.

Há muito tempo desejaria ter somente um projeto pendente ou parado. Ao invés disso, estou com vários deles parados, pela metade e por culpa única e exclusivamente minha. Não me lembro desde quando, mas vários fatores externos me "bombardeiam" e me deixam numa incognita quanto ao que ocorre.
Ainda quando trabalhava na Contact Seres, vislumbrava uma promoção, que nunca ocorreu e alguém que, apesar de carismático, não tinha a visão que eu, passou no processo seletivo. E como justificativa, fui informado de que não estava preparado para o cargo, apesar de fazer o que o outro não fazia e não fez depois. Sai de lá, a convite, para trabalhar num outro call center, do mesmo nível e concorrente. Não sei se posso chamar aquilo de nível, pois a desordem era geral e o lugar era pior do que eu imaginava. Cumprido o contrato de 3 meses, já estava trabalhando em outra empresa (para um colega) e percebi que seria mais util, além de fazer algo da minha área.
Além do mais, o meio em que me encontrava e as pessoas que me rodeavam, estavam numa sintonia muito diferente da minha. Não quero aqui, dizer que sou superior ou melhor que eles. Ao contrário, estou muito distante disso, mas é horrível quando você não tem com quem possa contar para nada e ainda por cima acumular conhecimentos que não tem com quem dividir.
Aliás, as pessoas que estão do meu lado, também.
Alguns planos foram por água abaixo. É horrível quando nossas expectativas se elevam e de repente... caem em ruína como um castelo de areia e tudo morre.
A família tem sido outra decepção, a medida que meu caráter está moldado para o certo (apesar de afirmar que ainda estou longe da perfeição) e assisto a atos decepcionantes para mim, como pessoa.
Em resumo: um namorado que mora longe, "amigos" para lá de amigos, uma família tão individualista que nem lembra a instituição ora citada entre outras coisas.
Poderia até entrar em detalhes sobre cada coisa que acontece, mas não estou certo de que tamanha exposição me faria bem. A quem tiver que interessar, exponho no momento certo, até porque, também estou cansado de monólogo.
Enfim, há algum tempo eu digo que não estou bem, estou "meio" deprimido e que estou muito aquém daquilo que sou como profissional, pessoa, amigo etc.
Vou trabalhar mais para sair dessa situação e voltar para o "mar" que é meu.
¿Beijos!

Um comentário:

Rodrigo Brower disse...

E as vezes saímos um pouco do caminho, mas como dizem o importante é continuar caminhando para assim voltarmos para nosso eixo, ou nosso "mar" :b Saudades de passar por aqui...e a correria, tentarei vir mais! Bjs