segunda-feira, 28 de julho de 2008

#114 - Aonde vamos plugar?

Quem conhece o canal de vendas Shoptime, percebeu que em termos de produtos e preços (o canal pertence a Americanas.com desde 08/2005), não há melhor e mais divertida programação de se assistir. Um dos programas de destaque, dentro do canal, é o TV Gourmet/ UD, aonde as apresentadoras mostram as novidades da cozinha moderna. Desde o mini-processador até a churrasqueira, todos ou quase sua totalidade de produtos são alimentados a energia elétrica. Levando-se em consideração que a quantidade de vendas de tais produtos aumenta mês a mês e que há sempre um novo consumidor com uma necessidade a ser atendida ou um velho consumidor querendo mais novidades (eu que o diga, pois tenho o Grill Quadrado e a Master Sucos, por enquanto), que nossa fonte de energia é limitada e com previsão de um futuro escasso, como ficaremos daqui a alguns anos?
Essa comodidade toda ainda trás outros fatores não lembrados na hora da aquisição: o aumento da conta de energia elétrica; o espaço na cozinha para acomodar tantas "facilidades"; a garantia de que poderemos usar SEMPRE tais produtos, sem o risco de um novo apagão ou racionamento como houve em 2001. Investir em novas tecnologias para redução no consumo de energia é viável, mas quando há um paralelo no aumento da quantidade de produtos ofertados e adquiridos em que há necessidade do uso da energia elétrica, a coisa começa a ficar complicada. Deveria haver um incentivo para que todos viessem a usar, ao menos em parte, a energia solar, pois assim poderíamos usar uma fonte barata e ecologicamente correta. Outras fontes de energia devem ser usadas também, até mesmo a energia nuclear.
A questão é torcer para que o governo federal invista em infra-estrutura e pesquisa, afim de atender a forte demanda que vem por aí.
¿Beijos!

9 comentários:

Jú Carvalho disse...

Eu achei que só eu assitisse a isso Oo!
Isso me lembrou daquela casa políticamente correta, imagine se ao invés de CDHU e esse conjutos habitacionais praticamente provisórios o governos invetisse nisso o invés de aumento de salário deles e cartão sorporativo *-*. Aiai, é um sonho...

TAJAN disse...

eu me divirto com shoptime

uiahuiahauihaa

o ciro é uma figura

gostava quando a vivi apresentava tb

abraçosssssss

TAJAN/ BALNEÁRIO CAMBORIU/SC

Mans disse...

meu avô compra tudo
heheheheheheheheh

e eu passo mal com as coisas da polishop
haha

bvj

Milkshake / ALV disse...

Shoptime.com é careiro!

Quanto ao canal, nunca ninguem da minha familia fez compra pela TV, entao nao sei como funciona o processo..

Anônimo disse...

Olá, voltei com o Blig, abraço! Aqui continuam os textos interessantes.

André Kaworu disse...

Oi....acho que além do governo investir em infra-estrutura as pessoas têm que pensar e realmente precisam de tudo que compram, acho que com um meio termo tudo vai dar certo e poderemo meter nossas tomadas sem medo hahuaa. abraços e boa semana

blogjaviu disse...

Sei la Will, eu sou viciada em tudo que é coisa que tem botão on/off.. vou no py e fico horas olhando as novidades auehiaeuhieauha, ao mesmo tempo que sou a favor, sou totalmente adepta a energia!

Confunde né?

Socorro!
Beijooooo

Lílian disse...

Olá, td bom? ^^ É engraçado como a maioria dessas coisas são completamente dispensáveis, + ainda encontram compradores d baixa renda q queira possuí-los. As pessoas ñ sabem administrar o q ganham e ficam gastando com coisas supérfluas. Além d prejudicar a natureza, tbm prejudicam a si próprias =/
adorei o post, mto bem redigido e com consciência ecológica! ;D
beijos

Raquel El-Bachá disse...

Oi William. Estou de volta à blogosfera. Não sei se vc lembra do meu blog (Blog da Quelzinha - Blig e Uol Blog). Espero visitar seu blog com a mesma frequencia que visitava antigamente.
Bem... Eu não tenho paciência para assistir Shoptime nem nunca comprei nada pela TV. Já comprei pela internet no próprio site da Shoptime uma pipoqueira Fun Kitchen. No início foi só empolgação, mas agora o aparelho está encalhado lá em casa.
A pipoca de panela é muito mais gostosa e não gasta energia.