sábado, 9 de janeiro de 2010

#164 - Pirataria. Estou fora!

A moda do momento é ouvir músicas e assistir filmes em formato compactado, em aparelhinhos do tamanho de um celular. Até então, não vejo nada de errado com isso, entretanto, acho um verdadeiro absurdo o que muitos vem fazendo: baixar filmes e álbuns inteiros de músicas através da internet, sem gastar um tostão sequer, alguns antes mesmo de serem lançados.
Além do desrespeito à toda classe artística, equipes fonográficas e cinematográficas e apoios, a pirataria também trás influência na questão financeira. Os que apoiam a pirataria, não devem conhecer os bastidores que originam cada filme e muito menos prezam pela qualidade da imagem e do som.
Pela falta de princípios e até mesmo interesse, muitas pessoas deixam de saber o quão custoso é fazer um filme, só de olhar o trabalho que a equipe tem. Infelizmente, a pirataria não está só na produção de filmes, mas também dos dvd's de shows, cd's musicais e até de softwares. Não só os criadores perdem com isso, mas também o próprio povo, que dá uma brecha para o governo alegar que não diminui impostos por conta da sonegação com esse tipo de crime, por mais que saibamos que é um pretexto para não baixarem a carga tributária.
Além da questão ética, moral e de qualidade do material, tem a questão relacionada aos players. Assim como o cartucho recondicionado, de tinta de impressora, que diminui a vida útil da mesma, o mesmo acontece com os dvd's players. Conheço algumas pessoas que tiveram seus aparelhos estragados por uso de dvd's piratas. Em um dos casos, o aparelho não permite que certas funções de dvd original sejam ativadas, como legendas, por exemplo. Não é por falta de conselhos e não vou ficar gastando meu "latim" para convencê-los do contrário.
Não quer dizer que eu seja de um todo puro e santificado. Já baixei sim, muitas músicas pela internet, mas pelo fato de sempre buscar músicas específicas e muitas vezes só encontrada junto com outras que não me interessam. E quanto a filme, só tenho "Super Máquina" da 3ª a 5ª temporadas, que não foram lançadas no Brasil (tenho a 1ª e 2ª temporadas original) e "Buffy - A Caça Vampiros" com a 6ª e 7ª temporadas (também tenho da 1ª a 5ª temporada originais). Entretanto, tão logo lancem os devidos boxes, com certeza irei comprá-los. O que nos falta é um sistema que permita o usuário adquirir filmes ou músicas de boa qualidade através do sistema "on demand". Com certeza, seria mais lucrativo para todos.
¿Beijos!

3 comentários:

André Kaworu Silva disse...

Olá, feliz ano novo primeiramente, bom quanto a pirataria, poucas pessoas tem a noção disso que vc disse, dos proffisionais envolvidos na produção dos CD/DVD e afins, creio que mesmo eles sabendo não deixariam de piratiar, acho que é um costume que se misturou na cultura nacional. abraços e boa semana

Barbara Góes disse...

Feliz ano novo..

Essa questao da pirataria é um assunto delicado. Como o carinha ai em cima disse, pouca gente sabe o trabalho que dá e quanto se investe para fazer uma superprodução cinematografica, ou um cd. Por outro lado, os preços exorbitantes desanima qualquer pessoa a comprar. Resultado, nenhum dos lados cede e ambos saem perdendo.

Também acho que a pirataria de cds, no caso serve como divulgação de material, e hoje em dia podemos ver um aumento considerável no numero de shows para suprir esse valor negativo. Há sempre dois lados a ponderar, basta escolher o nosso!

Fantôme disse...

Eu prefiro ver o outro lado da pirataria. Eu não compro DVD em camelô. Mas não vou negar que graças a ferramentas como Emule, Rapidshare e outras, a gente tem acesso a filmes poucos conhecidos, a maioria europeus, com temática gay. São filmes que quando passam no Brasil (se passam) é numa mostra de cinema, daquelas que você vê uma vez pra nunca mais. E jamais são lançados em circuito comercial, não passam no cinema, não saem em DVD e se não fossem excelentes sites como FilmesG, jamais saberia da existência deles. Basta ver que Shelter levou mais de dois anos para passar em algum cinema no Brasil, ainda assim com um número limitado de salas. Depois reclamam da pirataria...

Abração.